spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
terça-feira, 16 abril, 2024
More
    InícioDestaquesFeira da Goiaba começa nesta sexta (5) em Brazlândia

    Feira da Goiaba começa nesta sexta (5) em Brazlândia

    -

    Público encontrará 36 estandes onde podem adquirir a fruta in natura e derivados como doces e geleias

    A 9ª edição da Feira da Goiaba começa nesta sexta-feira, 5 de abril, a partir das 18h, na Associação Rural e Cultural de Alexandre de Gusmão (Arcag), em Brazlândia. O evento celebra a época de colheita da fruta mais cultivada do Distrito Federal e acontece em dois finais de semana, nos dias 5, 6, 7 e 12, 13 e 14 de abril. Nas sextas-feiras o evento será das 18h às 22h. Aos sábados e domingos as programações acontecem entre 10h e 22h. Depois desse horário, o evento continua com a apresentação de shows artísticos que vão até 2h da manhã.

    No evento, que celebra a safra e a produção rural local, o público encontrará 36 estandes no Empório da Goiaba, onde podem adquirir a fruta in natura e derivados como doces e geleias. Também haverá o espaço da Florabraz com 30 estandes comercializando uma diversidade de plantas e o galpão do artesanato. No estande institucional da Emater-DF, localizado no Empório da Goiaba, haverá um plantão técnico para aqueles que quiserem sanar dúvidas sobre a produção ou sobre a fruta.

    Já para os produtores rurais, a Emater-DF realiza um encontro técnico, no dia 11 de abril, sobre as goiabas mais plantadas no Brasil e a importância do novo porta-enxerto BRS Guaraçá. A atividade acontece no escritório da Emater-DF em Brazlândia, às 19h. No DF, existem 222 produtores de goiaba, que produziram 7.070 toneladas da fruta em 2023. Para o gerente da Emater-DF em Brazlândia, Claudinei Machado Vieira, a Feira da Goiaba é um momento de celebração da safra e de incrementar renda dos produtores.

    “O mercado consumidor também cresce em função da festa, que proporciona divulgação da agricultura local, do trabalho dos agricultores e também uma programação cultural para o público em geral, que tem a oportunidade de ter acesso direto aos produtores, com fruta fresquinha e derivados”, diz Claudinei. O evento é realizado pela Associação Rural e Cultural de Alexandre de Gusmão (Arcag) em parceria com a Associação Cresce-DF. O evento com com apoio do Governo do Distrito Federal por meio da Emater-DF, Secretaria da Turismo, Administração de Brazlândia e Polícia Militar.

    Variedades da goiaba

    No Empório da Goiaba serão 30 estandes de produtores da região, que comercializarão quatro cultivares de goiaba. As mais conhecidas são Paluma, a Tailandesa, a Cortibel e a Pedro Sato, que é a mais produzida na região. Todas são indicadas para o consumo in natura. “A Paluma tem maior rendimento de polpa, a Pedro Sato é boa para doces, a Cortibel tem como vantagem maior tempo de prateleira, dura mais, e a Tailandesa é a maior e chama mais atenção visualmente”, explica o gerente do escritório da Emater-DF em Brazlândia, Claudinei Machado Vieira.

    Conheça as principais variedades de goiaba:

    – Paluma:  maior rendimento de polpa, muito utilizada para fazer doces, geleias e licores em geral. Porém a maturação é muito rápida o que não é muito recomendado para consumo in natura.

    – Suprema (Tailandesa): Variedade que atrai o consumidor pelo tamanho, é muito comum encontrar frutos com 400, 500 e até 800 gramas. Possui uma boa duração de prateleira, agradando bastante o mercado consumidor, porém não é um fruto que tem um grau de brix muito elevado, ou seja, não é muito saboroso.

    – Cortibel: possui um sabor intermediário, bem como tempo de prateleira que pode chegar a 5 dias. O  tamanho médio do fruto também agrada, chegando em média a 300 gramas.

    – Pedro Sato: É hoje a variedade mais cultivada no DF e se destaca pelo sabor, sendo o mais recomendado para consumo in natura. Comparado com Suprema e Cortibel, seus frutos são bem menores chegando num peso médio de 150 a 200 gramas.

    – Sassaoka: Possui um sabor muito agradável e também um bom tempo de prateleira, o tamanho dos frutos são parecidos com a Pedro Sato, mas o fato de ter a casca muito rugosa pode depreciar o seu valor de mercado.

     

     

    Notícias Relacionadas

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    -Publicidade -spot_img

    Últimas notícias