0
0

 

Talyta Machado – Nutricionista CRN/1 15591

Instagram/Facebook: @talytamac

Consultas: 61 99449-5532

 

 

O poder da alimentação na saúde mental

Parecem duas coisas tão distantes, não é?  Hoje, mais do que nunca, profissionais de saúde vêm reconhecendo a importância de uma alimentação saudável para tratar diversos problemas de saúde, sejam físicos, ou psíquicos.

No caso de saúde mental, não é diferente. Além de rotinas e um tratamento com profissionais desta área, sua alimentação pode ter uma influência enorme no prognóstico, e o acompanhamento multiprofissional, incluindo nutricionista, é essencial para que não haja dúvida de que todos os fatores relacionados estejam sendo tratados. Aqui, trouxe algumas dicas para você observar e começar a praticar em seu dia a dia, além de ensinamentos. Quer saber? Continue lendo.

No caso de estresse, a falta de algumas vitaminas do complexo B (B9, B6 e B12), podem influenciar e aumentar este sintoma. Alimentos fonte:

Vitamina B6 – atum, salmão, leite, espinafre, cenoura, semente de girassol, banana, ovos.

Vitamina B9 – vísceras, feijão, espinafre, brócolis, aspargo, amendoim, vegetais folhosos.

Vitamina B12 – carnes vermelhas e brancas, levedura nutricional e alimentos fortificados (vegetarianos e veganos).

Outra dica é tomar chás no fim da tarde, para melhorar o sono, entre alguns dos mais comuns: erva-doce, erva-cidreira e camomila.

No caso de depressão, um fator muito importante é cuidar do seu intestino (ele possui uma conexão direta com seu cérebro). A saúde intestinal está intimamente ligada com a sua alimentação e estilo de vida. Por exemplo, uma alimentação rica em açúcar, gorduras de fonte animal, frituras e sódio, além de falta de vegetais, pode causar disfunções neste órgão e predispor ou piorar sintomas psíquicos, como a depressão.

Para cuidar melhor do seu intestino, aumente o consumo de frutas, verduras e legumes, além de diminuir o consumo de industrializados, doces e massas. Outra dica também é reparar a forma que você prepara os alimentos, diminuindo a gordura utilizada, o sal, e trocando temperos completos por temperos naturais.

No caso de ansiedade, além de fatores já explicados, como saúde intestinal, vários nutrientes estão associados com este quadro. Ferro, zinco, cobre, magnésio, vitamina B9, B6 e 12, selênio e cálcio.

Fontes:

Zinco – ostras, carne vermelha e grãos integrais, castanhas e ovos.

Magnésio – Grãos integrais, castanhas, amêndoas, vegetais verdes, cacau, mariscos e soja.

Cobre – fígado, frutos do mar, castanha, cacau, cereais integrais, nozes.

Ferro – fígado, carne vermelha, aves e peixes. Fontes vegetais (importante consumir com vitamina C – como frutas cítricas): feijões, hortaliças verde-escuras.

Selênio – alho, atum, brócolis, cebola, cerais integrais, fígado, frango, gema de ovo, germe de trigo, leite, castanha do pará.

Cálcio – leite e derivados, gergelim, tofu, sardinha.

O uso de chás também pode ser benéfico, como o chá de maracujá, erva-cidreira e camomila ao fim da tarde.

Ressalto que o acompanhamento com profissionais psicólogo e psiquiatra devem ser o primeiro passo para cuidar da saúde mental. Estas recomendações são para pessoas saudáveis, sem doenças associadas, e sem medicação. Consulte um profissional de saúde.

 

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *