Início DF Abrasel DF participa de ato em defesa da reabertura segura do comércio
Abrasel DF participa de ato em defesa da reabertura segura do comércio

Abrasel DF participa de ato em defesa da reabertura segura do comércio

23
0

Associação se reunirá com representantes de diversos setores afetados, como o dos bares, das academias e salões de beleza, para reivindicar direito de voltarem ao funcionamento no dia 1o de julho, conforme prometido pelo Governador Ibaneis Rocha 

Nesta terça-feira, 23 de junho, às 10h, a Abrasel DF se reunirá na Praça dos Tribunais Superiores, Setor de Autarquias Sul, Via S3, juntamente com as demais associações dos setores que ainda não reabriram – SimbelezaSindhobar; Cref7; SindBele – para reivindicar o direito à reabertura segura do comércio no dia 1o de julho, conforme prometido pelo Governador Ibaneis Rocha. Os setores esperam que a Justiça reconsidere a suspensão da retomada das atividades de alguns segmentos do comércio. Segundo os representantes participantes do ato, a decisão do Tribunal Regional Federal da 1a Região (TRF-1), ocorrida no último dia 20, desconsidera o compromisso dos empreendedores com protocolos de segurança debatidos com as entidades produtivas e formulados e aprovados junto com as autoridades sanitárias.   

Segundo o Presidente da Abrasel DF Beto Pinheiro, “estamos prontos e preparados para reabrir as portas no dia 1o de julho, conforme prometido pelo Governador Ibaneis Rocha”. É preciso reforçar que, como o Judiciário, a principal preocupação do comércio também é com a preservação da vida. Por isso, a intenção é de promover uma retomada segura das atividades econômicas, sem ameaçar a população, tampouco perdendo milhares de empresas e empregos que estão cada dia em situação mais crítica. No dia 21, mais de 30 associações assinaram um ato de repúdio à decisão do TRF-1. O documento alega que a Justiça tem arbitrado o comportamento do comércio em desacordo com as instruções do GDF, causando impacto direto em segmentos cuja liberação já estava em negociação.  

As entidades que assinaram a nota de repúdio foram: Fecomércio-DF, Abrasel-DF, Sindhobar-DF, ADVB, Brasília Convention Bureau, ABIH-DF, Sindilab-DF, CDL, Sindivarejista-DF, Agenciauto– DF, Sinfor-DF, Abav-DF, Sindetur-DF, Simbeleza, SECHOSC, ACDF, Secovi-DF, Sindicondomínio-DF, Scaab-DF, Sindimac-DF, Sescon-DF, Fape-DF, Sindicombustíveis-DF, Sindeventos-DF, Sindsuper-DF, AsbraSindigêneros-DF, Sindercom, Associação Nacional de Restaurantes, BPW Brasília, Sindiatacadista-DF, Sinfoc-DF, Sindipel-DF.  

Dados no DF: 

Até o momento, o fechamento dos bares e restaurantes, segmento mais atingido, já produziu 30 mil trabalhadores desempregados e um prejuízo de R$ 750 milhões podendo atingir R$ 1,8 bi. Uma projeção sobre as notas fiscais emitidas revela que os empresários na área de vestuário vão perder, no semestre, R$ 1,5 bilhão, e o de combustível, outros R$ 6 bilhões. Assim como são enormes os prejuízos nos segmentos de academias de ginástica e salões de beleza, que estão há três meses sem funcionar.  

A contabilidade das famílias atingidas apresenta uma estimativa de 82 mil desempregos no comércio de Brasília e a enorme cifra de R$ 1,4 bilhão na diminuição de recursos do ICMS e ISS do governo do GDF. Todos chegam à fronteira do desespero, com empresários falindo, trabalhadores sem emprego e milhares de mortos sendo velados.

(23)

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *