Início Saúde Baixa umidade do ar exige atenção redobrada com os olhos
Baixa umidade do ar exige atenção redobrada com os olhos

Baixa umidade do ar exige atenção redobrada com os olhos

3
0

O período de inverno chega e, com ele, a baixa umidade relativa do ar. A primeira semana de julho no Distrito Federal registrou a mínima de 23%, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). O alerta é um indicativo para potencializar os problemas oculares. Pacientes diagnosticados com glaucoma sofrem ao longo desses dias, além da síndrome do olho seco – que afeta uma parcela da população.

O especialista em catarata e glaucoma da Oftalmed, Marcos Ferraz, explica quais são os principais problemas, sintomas e prevenção na visão durante o período da seca. Saiba mais abaixo:

  1. Quais são os principais problemas de visão que ocorrem no período de seca?

Marcos Ferraz – O problema mais comum é a síndrome do olho seco, que pode acometer qualquer pessoa, mas idosos e mulheres na menopausa são mais suscetíveis, por causa das alterações hormonais que ocorrem nesse período. Outro grupo que pode sofrer mais são os portadores de doenças oculares como o glaucoma, que fazem uso de medicamento tópico por longos períodos. Colírios utilizados para combater essas doenças podem aumentar o ressecamento do olho, deixando-o mais vulnerável na seca.

2) Quais são os sintomas?

Marcos Ferraz – Os olhos ficam vermelhos, podem arder ou coçar, ou ainda apresentar a sensação de areia nos olhos. Além da seca, este período do ano é propício ao desenvolvimento de problemas alérgicos, por causa do aumento de pólen liberado pelas árvores e pelo uso de agasalhos que ficam guardados por muito tempo, acumulando poeira e outros resíduos.

3) Como prevenir e tratar os problemas que aparecem com a seca?

Marcos Ferraz – São necessárias revisões periódicas junto ao oftalmologista, pois é muito comum que o paciente que já sofreu a síndrome do olho seco desenvolva repetidamente o problema durante a estiagem. Nesses casos, é recomendado o uso de lágrimas artificiais, de preferência aquelas que não tenham preservantes, pois essas substâncias se depositam sobre a superfície ocular. Nos casos de alergia, como a conjuntivite alérgica ou alergia ocular, os olhos ficam inchados e vermelhos.

A Oftalmed orienta ao paciente não fazer uso de medicação sem a prescrição médica – sobretudo aqueles que já tenham algum problema de saúde e faça uso de colírios com corticóide. O medicamento pode gerar infecções fúngicas ou bacterianas e  até levar à cegueira. Na dúvida, procure um oftalmologista.

*Por Deborah de Salles | Conversa Coletivo de Comunicação Criativa com informações do Correio Braziliense

_____________________________________________________________

 

Doenças Cardiovasculares são a maior causa de morte no mundo
Até a primeira quinzena de julho de 2020, mais de 215 mil pessoas perderam a vida por problemas cardíacos no Brasil

Black man having a heart attack

As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), anualmente, morrem mais pessoas por essas enfermidades do que por qualquer outra causa. O indicador do número de mortes por doenças cardiovasculares no Brasil, criado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), aponta que, de janeiro a primeira quinzena de julho de 2020, mais de 215 mil pessoas perderam a vida por problemas cardíacos.

A estimativa da SBC é que, ao final deste ano, quase 400 mil cidadãos brasileiros irão morrer por doenças do coração e da circulação. Para cardiologista hemodinamicista do Instituto do Coração de Taguatinga (ICTCor), Ernesto Osterne, muitas dessas mortes poderiam ser evitadas ou postergadas com cuidados preventivos.

“Se as pessoas mudassem seus hábitos e fizessem o acompanhamento médico da forma correta, os números poderiam ser diferentes. Mudanças no cotidiano fazem toda a diferença, não têm contraindicações e podem e devem ser adotadas por jovens e idosos”, alerta o especialista.

As doenças cardiovasculares são um grupo de doenças do coração e dos vasos sanguíneos. O infarto agudo do miocárdio e o acidente vascular cerebral (AVC) são as duas causas que mais matam no País. Somados, o índice representa quase 40% dos óbitos. Entretanto, o médico Ernesto Osterne ressalta que, a arritmia cardíaca, o mal súbito e tumores no coração também podem levar a óbito se não forem tratados.

O diagnóstico para tais enfermidades se dá por meio das consultas regulares ao médico e a realização de exames, conforme orientação e supervisão do profissional de saúde. Por mais corriqueiro que possa parecer, manter hábitos saudáveis e o checkup em dia são os pilares mais importantes para cuidar da saúde do coração.

O especialista explica que os cuidados e a atenção não devem ser apenas preventivos. Mesmo os pacientes já diagnosticados com problemas cardiovasculares devem continuar o acompanhamento médico. E relembra que, atualmente, há uma série de procedimentos que, caso seja necessário, podem ser realizados para uma melhor qualidade de vida.

“A convivência com a doença requer o que chamamos de modificação de estilo de vida, sempre focado em hábitos mais saudáveis, tudo para a prevenção secundária de novos eventos cardiovasculares”, pontua.

Saiba mais sobre alguns procedimentos utilizados no tratamento das doenças cardiovasculares.

Angioplastia – é a intervenção realizada para a abertura da artéria coronária obstruída. A obstrução é confirmada por meio da realização do cateterismo.

Crioablação de Arritmia Cardíaca – procedimento utilizado em quem sofre com Fibrilação Atrial. É realizado via cateterismo e oferece a correção do ritmo cardíaco, cauterizando as veias por meio de um sistema de congelamento. O Instituto do Coração de Taguatinga é pioneiro neste método inovador em Brasília.

Implante de marcapasso – é recomendado para pacientes com frequência cardíaca lenta, causada pelo desgaste do sistema elétrico do coração, que pode acontecer pelo envelhecimento ou por alguma doença cardíaca.

 

(3)

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *