Início DF Rural Cartilha orienta produtor a como evitar contaminação pelo coronavírus
Cartilha orienta produtor a como evitar contaminação pelo coronavírus

Cartilha orienta produtor a como evitar contaminação pelo coronavírus

6
0

 

A Emater preparou uma cartilha com orientações voltadas ao produtor rural sobre como combater a disseminação do coronavírus. As orientações têm foco na higiene pessoal e de equipamentos, ferramentas e insumos.

A cartilha pode ser consultada na página da Emater ou baixada no link http://www.emater.df.gov.br/wp-content/uploads/2020/05/CARTILHA-COVID.pdf. A publicação também pode ser compartilhada ou reproduzida.

Primeira etapa de vacinação contra febre aftosa termina em 31 de maio

Produtores rurais que possuem rebanhos de bovinos e de bubalinos devem vacinar seus animais de todas as idades contra a febre aftosa, até o dia 31 de maio. A campanha de vacinação, que teve início dia 1 de maio, é realizada pela Secretaria de Agricultura do Distrito Federal (Seagri-DF) e conta com o apoio da Emater-DF na divulgação para os produtores rurais.

Todos os anos são realizadas duas etapas de vacinação, a primeira em maio e a segunda em novembro. Os produtores rurais adquirem as vacinas nas lojas de revenda autorizadas, fazem a vacinação e enviam para a Seagri a declaração de vacinação do rebanho.

No Distrito Federal existem cerca de 78 mil cabeças de gado bovino (incluindo gado de corte e de leite) e 2.170 criadores de gado. “A Emater-DF apoia essa campanha reforçando a divulgação entre os produtores atendidos pelos nossos canais de contato. Tiramos dúvidas e reforçamos as orientações da Seagri-DF”, explica Pedro Ivo Braga, médico veterinário e gerente do escritório local da Emater-DF no Gama.

“A vacinação é apenas para bovinos e bubalinos de todas as idades. Demais animais como ovinos e caprinos não precisam ser vacinados”, diz o veterinário.

A doença, no entanto, atinge outros animais também. “Todos os animais biungulados – que possuem casco com duas unhas – como ovinos, suínos, caprinos, além dos bovinos e bubalinos, são susceptíveis à febre aftosa”, afirma Braga. “Mas tem uma razão estratégica para não vacinarmos as outras espécies, pois eles são sentinelas. Assim, se eles contraem a doença, podemos saber que o vírus está circulante na região”, explica ele.

Neste ano de 2020, com a pandemia do coronavírus, a Secretaria de Agricultura organizou o processo de entrega das declarações 100% online. Assim, o criador de bovinos ou bubalinos deve encaminhar a declaração pelo sistema Sidagro Produtor  acessando o Sidagro no link http://sidagro.seagri.df.gov.br/sidagroprodutor/login.jsf

Quem não possui cadastro no Sidagro, pode fazer por meio dos telefones e WhatsApp da Seagri. A declaração também poderá ser enviada por e-mail para a unidade de atendimento onde o produtor rural já costuma entregar anualmente a sua declaração. Nesse caso, ele deve enviar o formulário de declaração do criador preenchido e assinado por foto de boa resolução ou em formato PDF e deve incluir também a nota fiscal da compra das vacinas.

 

(6)

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *