Início Enogastronomia Champagne, o mais nobre do espumantes
Champagne, o mais nobre do espumantes

Champagne, o mais nobre do espumantes

0
0

 

Famoso no mundo inteiro, o Champagne está presente nas mais refinadas e importantes celebrações.

Champagne é um vinho espumante produzido exclusivamente na região de Champagne na Franca que fica a 150 quilômetros de Paris. É uma das menores regiões vinícolas do país com apenas 33 mil hectares parcelada entre, aproximadamente, 15 mil proprietários. Hoje existem certa de 5 mil marcas de Champagne, algumas ainda são de produtores familiares. Mesmo os grandes produtores são proibidos de utilizarem máquinas, a colheita deve ser manual.

Como surgiu o Champagne?

 Devido a situação geográfica de Champagne, ao norte do país, o tempo esfria muito rápido no outono, o que interrompe a fermentação do mosto, antes que todo o açúcar seja transformado em álcool e gás carbônico. Então, durante a primavera, quando a temperatura sobe novamente, o vinho volta a fermentar. Esse fato não chamou atenção até o século 18, pois o vinho fermentava em barris e o gás escapava. Só em 1728 a bebida foi engarrafada, e o alto teor gasoso, durante o retorno da fermentação, explodiram as garrafas. Isso trouxe um prejuízo enorme para os produtores que chegaram a perder 50% da produção.

Diante de tamanha perda, os produtores desenvolveram técnicas para que o vinho não voltasse a fermentar dentro da garrafa, exceto Dom Pérignon que teve a ideia e o desafio de dominar a fermentação. Dom Périgon começou a utilizar garrafas mais fortes e amarrou as rolhas com arame conseguindo obter a segunda fermentação sem que as garrafas explodissem.

Certo dia, o monge Dom Pérignon abriu a primeira garrafa e experimentou a bebida, surpreso, comentou: “Estou bebendo estrelas”. A bebida era quase perfeita, o único defeito eram as leveduras que permaneciam na bebida tornando-a turva e feia. Foi aí que a madame Clicquot entrou para história, contribuindo para o aprimoramento da bebida.

A madame Clicquot começou a colocar as garrafas em pupitres (suporte de madeira que acomoda as garrafas inclinadas para baixo e permiti que sejam giradas), fazendo com que os resíduos se desloquem até o gargalo da garrafa. Logo após ela desenvolveu o processo chamado dégorgement, que retira os resíduos depositados na tampa da garrafa tornando o vinho límpido e transparente.

Esta é a história bem resumida do “rei dos vinhos”. Hoje o Champagne é o campeão de vendas principalmente no fim de ano, época em que 65% das garrafas produzidas durante um ano são abertas entre o Natal e o Ano Novo.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

COLUNAS EM DESTAQUE

Powered by moviekillers.com