Início DF Rural Feira Rural no Parque da Cidade atrai brasilienses em busca de produtos da agricultura local
Feira Rural no Parque da Cidade atrai brasilienses em busca de produtos da agricultura local

Feira Rural no Parque da Cidade atrai brasilienses em busca de produtos da agricultura local

14
0

Produtos orgânicos e convencionais da agricultura do Distrito Federal, artesanato feito por produtores rurais, flores e plantas ornamentais, biscoitos, pães, geleias, pimentas e sorvetes de frutos do cerrado. Esses são alguns dos atrativos oferecidos na segunda edição da Feira Rural no Parque, realizada no dia 11/01, e que chamaram atenção de frequentadores do Parque da Cidade Sarah Kubistchek.

Além de ampliar o espaço de comercialização de agricultores, um dos objetivos da feira é levar os produtores para o contato direto com o consumidor. O gerente da unidade de Comercialização da Emater-DF, Blaiton Carvalho da Silva, ressaltou a importância desse contato. “É um produto fresco vendido aqui. O consumidor vai conhecer quem produz, onde e como produz. Quando você vai no mercado, o tomate, por exemplo, é só o tomate. Já na feira, o tomate é o tomate do Joaquim, do José.”

Além disso, a feira tira o intermediário do processo, diz. “É uma relação direta. As feiras, no aspecto geral, são os espaços mais justos de comercialização”, afirmou. Para o produtor rural Denis Francisco Viana, a grande vantagem do espaço é vender direto para o consumidor. “O consumidor compra e conhece a história de como é a produção até o produto final que ele está levando para casa.”

Com mercado em expansão, cogumelos atraem agricultores e consumidores no DF

Com um mercado consumidor em expansão e o crescente interesse dos agricultores, a produção de cogumelos no Distrito Federal tende a aumentar. De olho nesse potencial, a Emater-DF está organizando os produtores em um grupo que se reúne uma vez por mês para trocar informações, conhecimentos e experiências. As reuniões já contam com 17 participantes e ocorrem desde janeiro de 2019 no edifício-sede da empresa, na Asa Norte.

“Nosso objetivo é fortalecer a cadeia de fungicultura no Distrito Federal, levantar as informações da produção e entender quais são as dificuldades que afetam a expansão da atividade para apoiar os produtores da melhor forma possível”, explica a engenheira agrônoma Maíra Andrade. A extensionista da Emater-DF acrescenta que a organização pode evoluir para uma cooperativa. “Assim, incentivamos o associativismo como forma de fortalecer os produtores, para que possam enfrentar o mercado”, conclui.

Orgânicos — Em uma chácara de 2 hectares no núcleo rural Lago Oeste (região administrativa de Sobradinho), Gilsergio Santos produz, todo mês, 800 quilos de cogumelos do tipo champingon e 800 quilos de shimeji — ambos em sistemas orgânicos, ou seja, sem a utilização de insumos químicos. A produção é toda comercializada em feiras orgânicas, restaurantes e para clientes particulares. A atividade, iniciada em 2005, conta com o apoio da Emater-DF.

“Trabalhar com cogumelos não é fácil. Especialmente a compostagem, que é a ‘alimentação’ do fungo: é necessário ter maquinário adequado, áreas de descontaminação e estrutura para colonização”, explica Santos. Antes de começar, ele participou de vários cursos e capacitações. “O aprendizado é fundamental pela quantidade de detalhes que a produção exige”, acrescenta.

Gilsergio Santos vê com bons olhos a criação de uma cooperativa. “É uma forma de diminuir os custos de produção. Assim, todos ganham”, vislumbra. Além do associativismo, o apoio da Emater-DF ocorreu na construção de estufas e obtenção de crédito, além de orientações sobre o cultivo sem insumos químicos. “Desde o início, quisemos cultivar de forma a preservar a nossa saúde, a dos trabalhadores e consumidores. Produzir orgânicos não é apenas uma técnica; é uma forma de vida”, encerra.

Com sete funcionários e sete parentes envolvidos, a produção de Santos é considerada familiar. Ele pretende dobrar o volume cultivado a partir de 2020. “Brasília é um grande centro consumidor, além de ter um aeroporto internacional, o que abre a possibilidade de exportação”, acredita o produtor.

Propriedades — Cada espécie tem suas particularidades, mas em geral, os cogumelos são ricos em proteínas, carboidratos, gorduras boas, fibras, sais minerais (potássio, ferro, fósforo e sódio) e vitaminas A, B e C. Algumas espécies possuem beta-glicanas — uma substância antitumoral e antiviral. Por serem uma boa fonte de proteínas, os cogumelos são uma excelente opção alimentar para vegetarianos e veganos. Além da alimentação, os fungos são muito usados também na indústria farmacêutica e em cosméticos.

(Ascom – Emater-DF)

 

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *