Início Cultura Ativa Roger Waters em Brasília
Roger Waters em Brasília

Roger Waters em Brasília

7
0

O artista desembarca no país em outubro de 2018 com o show Roger Waters – Us them. A série de apresentações, que passa por sete cidades brasileiras, no país será de 9 a 30 de outubro, com passagem por Brasília no dia 13 no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha (Eixo Monumental)

Valor dos ingressos para o show em Brasília

Setores

Pista premium Elo: R$ 360 (meia) R$ 720 (inteira)

Cadeira inferior: R$ R$ 245 (meia) R$ 490 (inteira)

Pista: R$ 170 (meia) R$ 340 (inteira)

Cadeira superior: R$ 120 (meia) e R$ 240 (inteira)

 

Serviço 

Roger Waters – Us them

Estádio Nacional Mané Garrincha (Eixo Monumental). Em 13 de outubro de 2018. Abertura de portões: 17h. Início do show: 21h30. Ingressos: de R$ 120 a R$ 720. Classificação indicativa: De 10 a 15 anos permitida a entrada acompanhado de responsável. A partir dos 16 anos é permitida a entrada desacompanhada.

 

A 17ª edição da Mostra do Filme Livre traz para Brasília a

nata da produção independente nacional

Legenda da Foto: A Moça do Calendário, um dos filme da mostra

Considerada a maior mostra de cinema do Brasil, a Mostra do Filme Livre (MFL) traz para Brasília a sua 17ª edição, depois de passar pelo Rio de Janeiro e São Paulo. Conhecida por evidenciar a produção independente – filmes feitos sem verbas públicas ou sem grandes patrocínios, e de viés mais autoral, é também pioneira na exibição de filmes de diferentes formatos, gêneros, durações e épocas. A Mostra do Filme Livre é uma realização da WSet Multimídia e conta com o patrocínio do Banco do Brasil, através do Centro Cultural Banco do Brasil, desde sua primeira edição.

Na capital federal, a 17ª MFL fica em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB Brasília) de 24 de abril a 20 de maio com entrada franca em todas as sessões. Serão exibidos mais de 200 filmes, entre curtas, médias e longas-metragens, oriundos de todas as regiões do Brasil, devidamente selecionados pela curadoria formada por Gabriel Sanna, Diego Franco, Scheilla Franca e Guilherme Whitaker (Guiwhi), criador e organizador da mostra. Este ano a média se manteve. Foram 1.140 filmes inscritos, sendo que apenas 186 (16%) tiveram apoio de editais e/ou leis de incentivo. No total, foram selecionados 160 filmes e outros 70 foram convidados.

A equipe trabalhou ininterruptamente por três meses na escolha dos filmes para que a mostra garanta a qualidade das edições anteriores. “Nos últimos anos a MFL tem sido uma grande vitrine do cinema brasileiro. E que bom que o foco desta mostra seja os filmes independentes, não comerciais, deixando evidente a potência de nosso cinema livre, autoral, possível de ser feito sem o uso de verbas públicas. Muitos dos filmes que passamos são urgentes, tanto no seu fazer quanto no seu mostrar. Para estes filmes é que nascemos e seguimos na luta por mais espaço, para que eles sejam vistos por um número cada vez maior de pessoas”, comenta Whitaker.

Para além das sessões de filmes, a mostra inclui diversas atividades paralelas, entre debates, atividades formativas e cabines livres. Em uma sessão especial no dia 28/4, a MFL presta homenagem ao crítico e cineasta paulistano Olívio Tavares de Araújo com a exibição de quatro de seus filmes, seguida de debate com a presença do realizador. Olívio realizou mais de cinquenta curtas-metragens, boa parte sobre o processo criativo de artistas plásticos brasileiros. Além de sua intensa atividade como crítico e ensaísta convidado de vários jornais e revistas, no Brasil e no Exterior, tem atuado como curador de mostras de arte, entre elas duas sobre o pintor Alfredo Volpi.

Nesta edição, a mostra oferece, ainda, o curso Cinema e Memória com o conceituado pesquisador Hernani Heffner (MAM-RJ), de 25 a 28/4. A participação será gratuita e as inscrições serão realizadas pelo site da mostra em www.mostralivre.com .

Protagonismo feminino – As mulheres ganham mais visibilidade nesta edição da MFL. Dos 230 filmes na programação, 85 são dirigidos ou co-dirigidos por mulheres. E para refletir sobre essa questão, será promovido no dia 6 de maio, às 19h, o debate Nossa Porção Mulher, com a participação de Janaína André, Nina Rodrigues e Yale Gontijo.

Premiação – Este ano a premiação teve três recortes – a Sessão Caminhos, com filmes de estudantes, terá como júri o coletivo ELVIRAS (coletivo de mulheres que escrevem críticas cinematográficas e produzem reflexão teórica sobre audiovisual), os Panoramas Livres, onde estão os principais curtas e médias, terá como júri a ACCRJ (Associação de Críticos de Cinema  do RJ). O prêmio é o serviço de audiodescrição (para cegos) e legendagem descritiva (para surdos), oferecidos pela CONECTA Acessibilidade. Os dois filmes premiados passarão durante o evento em sessão especial para deficientes visuais e auditivos.  Como a premiação será realizada no dia 15 de abril no Rio de janeiro, o público de Brasília já vai poder assistir aos filmes vencedores. Além destas sessões, os longas da sessão Longas Livres também concorrerão ao troféu FilmeLivre!, com júri do Cine Festivais, site baseado em São Paulo. Veja abaixo os premiados:

LONGAS LIVRES, com júri do Cine Festivais: Troféu Filme Livre; “Navios de Terra”, de Simone Cortezão, MG.

PANORAMAS LIVRES, com júri da ACCRJ: Prêmio ACCRJ para o melhor filme da seção Panoramas da 17ª Mostra do Filme Livre: “Talaatay Nder” de Chantal Durpoix, BA

Menção honrosa Panoramas Livres:  “A retirada para um coração bruto”, de Marco Antônio Pereira, MG

CAMINHOS (filmes de escola), com júri das Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema: “CorpoStyleDanceMachine”, de Ulisses Arthur, BA

Menção honrosa: “A Paz Ainda Virá Nesta Vida”, de Isabella Geoffroy e Nicolas Bezerra, RJ

Sessão acessível em Taguatinga – A MFL 2018 prromove uma sessão especial  no Teatro da Praça em Taguatinga no dia 28/04 às 10h30. Serão exibidos dois curtas-metragens premiados da mostra de São e Paulo e Rio de Janeiro: Corpostyledancemachine, de Ulisses Arthur, e Talaatay Nder, de Chantal Durpoix. A sessão será acessível com audiodescrição  para deficientes visuais e legendagem descritiva para deficientes auditivos.

 

Sessão por sessão:

ABERTURA – Especial Híbridos = exibição do filme com debate, mais em http://hibridos.cc/

Curta DF – exibirá filmes realizados na capital federal

6 sessões Panoramas Livres = COMPETITIVA – exibição dos 26 principais curtas (júri no RJ da ACCRJ – Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro)

2 sessões Caminhos = COMPETITIVA – exibição de 7 filmes de estudantes (júri: Coletivo Elviras)

7 sessões Longas Livres = COMPETITIVA – exibição dos principais longas do evento

Homenagem a Olivio Tavares de Araújo = exibição de curtas e debate com o realizador paulista Olivio Tavares de Araújo.

Destaque Marcus Curvelo = exibição dos filmes do cineasta baiano, com debate nas 3 cidades

9 sessões Autores Livres = exibição dos filmes de realizadores que já participaram da MFL

4 sessões Questão de Gêneros  = exibição dos filmes de terror.

Especial Tantão =exibição dos filmes sobre o artista carioca multimídia Tantão

14 Cabines Livres = exibição dos videoartes e filmes não narrativos passando em loop

5 sessões Territórios = exibição dos filmes sobre questões relativas ao uso da terra, urbanidades e migrações

Mundo Livre = exibição dos filmes feitos fora do Brasil por brasileiros
Pilulas = exibição dos 19 filmes com até 5 minutos

Biografemas = exibição dos filmes com ou sobre outros artistas
Coisas nossas = exibição dos filmes feitos pela produção e curadoria da MFL (destaque para o novo curta de Christian Caselli e o novo trabalho de Gabriel Sanna, com Caetano Veloso.)

Mostrinha Livre= sessão de 30min. com exibição de curtas infantis para os pequenos.

Debates em Brasília

Dia 24-04 – 19h – ABERTURA – HÍBRIDOS, os espíritos do Brasil – com os realizadores Vincent Moon e Priscilla Telmon – C. I. 12 anos

Dia 27-04 – 19h30 – Destaque Marcus CURVELO – com o curador Guilherme Whitaker, e o realizador Marcus Curvelo – C. I. 12 anos

Dia 28-04 – HOMENAGEM A OLÍVIO – com o diretor Olívio Tavares de Araújo – C. I. 14 anos

Dia 6-05 – 19h – NOSSA PORÇÃO MULHER – com Janaína André, Nina Rodrigues e Yale Gontijo – C. I. 18 anos

Dia 13-05 – 18h – CURTA DF 2 – com Vinicius Machado, realizador do filme Menina de Barro, a produtora Rafaela Machado e a atriz Marina Mara – C. I. 16 anos

Dia 20-05 – 18h30 – Sessão de Encerramento – Após a sessão, debate com Jul Pagul, coordenadora da Rede Carnavalesca, Marina Mara, coordenadora do Rejunta meu Bulcão, e José Sóter, Fundador do Pacotão – C. I. 14 anos

 

Mais detalhes no http://www.mostradofilmelivre.com/17/pub.php?c=44

 

(7)

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

COLUNAS EM DESTAQUE