Início Enogastronomia Vinhos brasileiros para harmonizar com pratos típicos do Natal e Réveillon
Vinhos brasileiros para harmonizar com pratos típicos do Natal e Réveillon

Vinhos brasileiros para harmonizar com pratos típicos do Natal e Réveillon

0
0

A produção de vinhos brasileiros evoluiu muito nas últimas décadas. O Brasil produz vinhos de excelente qualidade e não deixa a desejar. Apostando na tecnologia, estamos produzindo bons vinhos, muitos premiados com frequência em renomados concursos internacionais. Resolvemos montar uma harmonização para a ceia natalina apenas com vinhos nacionais para você prestigiar o Brasil nas festas de final de ano.

 Panetone, e doces cristalizados.

 Estes harmonizariam muito bem com o equilíbrio entre a acidez e a doçura dos italianos Asti e Moscato d’Asti, mas como estamos falando de vinhos nacionais, a dica é harmonizar com os Moscatéis produzidos no Vale do São Francisco.

Miolo Terra Nova Moscatel: Com aroma intenso, frutado e floral, que lembra jasmim, mel e melão. Este vinho é leve e doce ao paladar.

 

Aves – Peru e Chester

Peru e chester são pratos que não podem faltar na ceia natalina. São pratos de sabor suave, e que devem ser acompanhados de vinhos leves, uma ótima pedida é um Chardonnay com madeira, e para os amantes do tinto, o indicado é o elegante Pinot Noir.

Luiz Argenta Chardonnay – aromas complexos de pêssego, mel, damasco e amanteigado. Equilíbrio perfeito entre acidez e álcool, complexo e intenso na boca.

Miolo Cuvée Giuseppe Chardonnay D.O. – Marcante intensidade, aromática de pêssego, pêra, damasco, mel, baunilha e coco. Apresenta cremosidade intensa, acompanhada de bom volume em boca, de acidez equilibrada e retrogosto prolongado.

Quinta da Neve Pinot Noir – expressa com delicadeza frutas vermelhas, violeta e notas minerais. Sedoso e fresco.

 

Carne de porco – Tender e Lombo.

 O Lombo já é conhecido por muitos como uma carne magra, mas o que poucos sabem é que o Tender é feito com carne de porco, temos que levar isso em consideração na hora de escolher o vinho que irá acompanha-lo. Esse tipo de carne harmoniza muito bem com Chardonnay sem madeira, com um espumante Brut, e até mesmo um Riesling.

Aurora Varietal Chardonnay – Frutado em seus aromas com o essencial toque cítrico. Na boca é equilibrado, fresco e de boa persistência.

Chandon Réserve Brut – Características florais e frutadas com nuance de pão fresco. No paladar acidez equilibrada, sensação de redondeza e frescor com persistência média.

Casa Valduga Duetto Chardonnay/Riesling – Elegância nos aromas ressaltando notas de frutas cítricas e tropicais, abacaxi e flor de laranjeira. Em boca é fresco, com acidez viva e final agradável.

Salpicão de frango

 

Salpicão é uma entrada tradicional da ceia de natal. Um prato fresco e delicado. Como o prato tem bastante maionese, o ideal é servir um tinto de médio corpo, então vamos indicar vinhos das castas Merlort e Shira.

Luiz Argenta Jovem Shiraz – aroma de cereja madura, pimenta preta e especiarias, acidez equilibrada, boa persistência e um leve frutado.

Antônio Dias Merlot – Aroma de frutas vermelhas super maduras, chocolate, café torrado e pimenta. Na boca é atrativo, aveludado, equilibrado com taninos macios e persistentes.

RAR Collezione Merlot – Aromas de frutas como amora e goiaba, geleias e notas de carvalho. Um vinho de boa estrutura, taninos elegantes, possui retrogosto persistente.

 

Bacalhau

É muito comum encontrar pessoas em dúvida se compra vinho tinto ou branco para acompanhar o bacalhau. Ambos podem acompanhar bem a bacalhoada, vamos às dicas. Os vinhos brancos precisam ter boa estrutura e serem encorpados. Já os tintos, precisam ter taninos mais leves como o Pinot Noir (taninos não combinam com sal) e ainda podemos harmonizar com um espumante rosé.

Antônio Dias Pinot Noir – Aromas de frutas secas, chocolate e especiarias. Na boca, apresenta-se leve com taninos macios.

Cave Geisse Rosé Brut – produzido 100% com a uva Pinit Noir, elaborado pelo método tradicional, é intenso e apaixonante.

Aurora Reserva Chardonnay – aromas frutados lembrando maçã verde e abacaxi. Seu sabor amanteigado e de baunilha são resultado da fermentação em barricas de carvalho francês.

   

Sobremesa – Rabanada e doces à base de chocolate

O vinho deve ser mais doce que a sobremesa, caso contrário, o sabor da sobremesa vai sobrepor-se ao sabor do vinho. Uma boa pedida são os vinhos licorosos, o alto teor alcóolico encara bem o chocolate e proporciona uma ótima degustação na hora das sobremesas.

Casa Valduga 1875 – Vinho licoroso tinto doce com boa estrutura e corpo, apresenta excelente bouquet.

Quinta Santa Maria Portenho – Vinho licoroso tinto doce, fresco na boca, com elegante acidez e taninos em equilíbrio.

Don Laurindo Vinho Licoroso – Vinho tinto licoroso doce, elaborado com as uvas Merlot e Cabernet Sauvignon, apresenta bom corpo e equilíbrio entre acidez e o doce.

(0)

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *