sábado, 20 julho, 2024
More
    InícioDistrito FederalComércio brasiliense registra queda de 2,45% no mês de agosto

    Comércio brasiliense registra queda de 2,45% no mês de agosto

    -

    O comércio brasiliense apresentou queda de 2,45% em agosto quando comparado com julho. Já o setor de serviços registrou uma leve alta de 0,28% na comparação mensal. O segmento do comércio que mais contratou foi o de Cosmético e Perfumaria, com crescimento de 20,72% no quadro de funcionários. Por outro lado, o que mais demitiu foi o de Minimercados, Mercearias e Armazéns, com queda de -15,04%. É o que mostra a Pesquisa Conjuntural de Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal, realizada pelo Instituto Fecomércio com apoio do Sebrae, em 900 empresas de 26 segmentos.

    O presidente da Fecomércio, Adelmir Santana, explica que uma das razões para a queda nas vendas no comércio em agosto foi o racionamento de água, que atrapalhou diversos setores. Santana também destaca que agosto é um mês onde as famílias estão voltando das férias de julho, com um orçamento mais apertado. “Com o período de férias em julho, é normal que as pessoas contenham os gastos no mês seguinte para continuar com suas contas em dia. O racionamento de água no DF também afetou alguns segmentos. Nas empresas de alimentação, por exemplo, a água é necessária para a limpeza do ambiente, além de ser um dos itens mais utilizados no preparo do que será consumido”, explica.

    Em contrapartida, Adelmir diz que ao se analisar as vendas nos últimos seis meses o comércio apresentou uma reversão do quadro negativo do ano passado. “O consumidor está recuperando seu poder de compra, acredito que nos próximos meses os dados voltarão a subir, dependendo muito do aquecimento do mercado de trabalho na capital, que já começa a mostrar um ritmo positivo de recuperação”, afirma. Ainda segundo a pesquisa, nas compras de comércio e serviços, o destaque em agosto ficou para o pagamento no cartão de crédito, com 39,32% das aquisições, seguido pelo pagamento à vista (dinheiro) com 29,34%, cartão de débito (22,80%), boleto (4,27%), pagamento à prazo (2,66%) e cheque (1,61%).

    Vendas por segmento

    No comércio, apenas cinco segmentos apresentaram crescimento nas vendas. Foram eles: Comércio Varejista de Bebidas (4,68%); Minimercados, Mercearias e Armazéns (2,57%); Ótica (0,80%); Suprimento de Informática (0,77%) e Cosméticos e Perfumaria (0,33%). Os setores que registraram queda foram: Cama, Mesa e Banho (-8,86); Móveis (-7,04%); Padaria e Confeitaria (-6,33%); Artigos de Armarinho, Souvenirs e Bijuterias (-4,77%); Vestuário e Acessórios (-4,69%); Farmácia (-4,43%); Ferragens e Ferramentas (-3,51%); Calçados (-3,34%); Auto Peças e Acessórios (-3,09%); Material de Construção (-2,87%); Papelaria e Livraria (-1,93%) e Joalheria (-0,89%).

    No setor de serviços, os segmentos que apresentaram crescimento nas vendas em julho foram: Manutenção e Serviços de TI (6,29%); Capacitação e Treinamento (4,72%); Atividades de Condicionamento Físico (2,86%); Organização de Feiras, Congressos e Festas (1,19%); Bares, Restaurantes e Lanchonetes (0,62%); Sonorização, Fotografias e Iluminação (0,34%); Atividades de Contabilidade (0,04%). Os que registraram queda foram: Promoção de Vendas (-9,95%) e Cabeleireiros (-4,26%).

    Notícias Relacionadas

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    -Publicidade -spot_img

    Últimas notícias